Arquivos da categoria: Artes

Arte no Museu

Num belo dia de junho resolvi levar meus pequenos ao museu sem sair de casa. Procurei na internet por imagens com boa resolução de quadros que já conhecia e imprimi 10 em cartolina branca tamanho A4. Sem nome de autor ou de obra e também sem moldura.

P1040796P1040795

Tirei toda a tralha do hallzinho de entrada do nosso apê (cabides, sapatos, carrinho de bebê), limpei-o, coloquei as imagens nas quatro paredes e bancos no centro para que eles pudessem sentar, como num museu. Tudo isso longe dos olhares deles, que estavam num quarto esperando o museu abrir.

Ao entrarem no recinto, recebiam uma folha de papel com as imagens dos quadros expostos. Ali eles deviam circular as obras que mais gostaram e riscar com “X” as que não gostaram. Meu filho mais velho, que tende muito mais para exatas, gastou somente uns rápidos minutinhos nessa primeira parte. Mas as meninas se deleitaram muito mais. Sentaram, conversaram, trocaram ideias, riram; enfim, levaram mais tempo no na salinha.

Quanto todos haviam terminado, conversamos sobre as impressões de cada um e a participação deles me surpreendeu. Observaram cores, linhas e formas e deram possíveis significados e explicações para o que era retratado. Foi muito bacana.

Para mim, a atividade tinha terminado aí, mas as meninas queriam mais. Pediram casacos para voltarem ao museu vestidas apropriadamente. Quando os dois menores acordaram, as meninas levaram a tarefa deles à frente–eles deviam ver as imagens pequenas e achar o quadro correspondente na parede.

P1040797

Como se não bastasse, elas ainda queriam mais. Reconheceram algumas obras, com a de Van Gogh e de Da Vinci e começaram a me perguntar sobre as outras. Foi aí, então, que me propus a ser guia em um tour de patinete. Nesse pequeno espaço, fiz os pequenos darem voltas e voltas nos bancos em dois patinetes indo e vindo de um quadro para outro para escutarem minhas informações sobre os artistas, as histórias por detrás de algumas obras, e coisas assim. A minha filha do meio correu e imediatamente começou a escrever os nomes nos papeis, por exemplo “van koki”.

P1040809

No dia seguinte, demos molduras de lentilhas e macarrão para duas das obras que eles mais gostaram.

Cartaz para desenho no chão

Uma das formas eficazes que uso para entreter os menores por alguns bons minutos é colocá-los para desenhar sentados no chão. Para isso, prendo uma folha de papel 40kg ou de cartolina com fita adesiva e libero a caixa de lápis de cor ou a de giz de cera ou a de canetinhas (pinceis). E deixo-os livres.

Preparando a atividade: quem joga os lápis no chão?

Preparando a atividade: quem joga os lápis no chão?

Sugestões de Variações

Normalmente, os pequenos gastam até 20 minutes nessa atividade, mas já chegaram a ficar mais tempo. Na minha experiência, qualquer pequena alteração nessa brincadeira torna-se uma grande novidade e, consequentemente, mais atraente às crianças.

Eis alguns exemplos de mudanças de impacto:

  • usar fitas adesivas coloridas;
  • colocar dois, três ou até quatro folhas no chão uma colada à outra, aumentando consideravelmente o espaço para desenho;
  • colocar dois, três ou até quatro folhas no chão separadas umas das outras, em pontos diferentes do ambiente;
  • imprimir imagens e grudá-las no chão para as crianças colorirem.
Cartolina ficou pequena para tantas mãozinhas

Cartolina ficou pequena para tantas mãozinhas

Outros Propósitos

Além de servir para mero entretenimento, essa atividade pode certamente ser adaptada para outros fins, como na revisão de algum assunto (transportes, animais, vegetais, etc) ou para a prática de técnicas de arte (aquarela, formas geométricas, colagem, etc). Só precisa ter em mente que quanto mais elaborada for a atividade, a supervisão de adultos se fará mais necessária.

Para menores de 3 anos

Para você que tem crianças com menos de 3 anos, começo hoje a publicar aqui no blog atividades que realizo com meus filhos de 1 e 2 aninhos na categoria fraldinha.

fraldinhaComo qualquer mãe, eu também tiro um tempo de diversão com meus filhos. Mas as brincadeiras que compartilharei aqui são, na sua maioria, as que uso para manter os menores entretidos enquanto acompanho os estudos dos mais velhos. Nem sempre funciona, é verdade, afinal, quando se tem duas ou mais crianças pequenas brincando juntas, as chances da brincadeira terminar em briga ou em bagunça total são grandes. Mas, de maneira geral, tem nos servido. Espero que você experimente e tenha bons momentos.

Para a grande estreia, escolhi um dos nossos passatempos preferidos:

Pegadas de tinta!

MInhas de 3 e de 2 deixando suas pegadas para a posteridade...

MInhas de 3 e de 2 deixando suas pegadas para a posteridade…

Se você não se importa de deixar os pequenos se sujarem um pouco, essa é definitivamente um ‘must’. O que faço é estender pedaços de algum tipo de papel no chão, colocar mais ou menos um pote grande de tinta tempera lavável numa vasilha baixa e dar as instruções sobre o que pode e o que não pode fazer. É o suficiente para as crianças rapidamente iniciarem seus passeios sobre os papéis. Aliás, já fizemos ‘pedicure art’ sobre jornal, papel 40kg e papelão, tanto dentro quanto fora de casa (como na foto). E já transformamos esse momento em desfile, partida de esgrima e patinação. Vale acrescentar que é válida para todas as idades!

Todo tipo de linha

Algo bem simples e legal de fazer para apresentar ou rever o tópico Linhas em Geometria ou Artes é usar limpadores de cachimbos (pedaços de arame revestido) e pedir para as crianças mostrarem o que é uma linha reta ou curva, aberta ou fechada.

Minhas filhas me mostrando o que é uma linha reta...

Minhas filhas me mostrando o que é linha reta,…

...linha curva,

…linha curva,…

Minhas filhas me mostrando o que é uma linha fechada...

…linha fechada…

 

...e linha aberta.

…e linha aberta.

Depois das demonstrações, deixei elas brincarem, é claro. E elas criaram um churrasquinho no espeto para mim – limpadores enrolados num lápis!

No dia seguinte, revimos o assunto movimentando mais o corpo. Na garagem de casa, desenhei vários tipos de linhas – retas, curvas e abertas, curvas e fechadas, etc. Então pedi para que eles andassem sobre qualquer linha que atendesse à descrição dada.

Andando sobre uma linha curva aberta...

Andando sobre uma linha curva aberta…

...e sobre uma linha curva fechada.

…e sobre uma linha curva fechada.

Dias depois, para encerrar o assunto, fizemos colagem. Em uma folha de papel, desenhei quadrados, cada um com a indicação de um tipo de linha. As crianças deveriam, então, colar um pedaço de barbante de acordo com o que era pedido.

Pedaços de barbante: cada um no seu quadrado!

Pedaços de barbante: cada um no seu quadrado!

Distribui as atividades ao longo de alguns dias por 2 motivos. Primeiro, para que houvesse melhor retenção na memória, pois sei (na teoria e na prática!) que o descanso cerebral é necessário. E segundo, porque se há alguma dificuldade de compreensão ou de produção, um espaçamento entre as atividades permite que haja tempo hábil para a internalização da explicação ou correção. No geral, organizo as atividades da seguinte maneira: A primeira atividade serve de exposição e prática inicial do assunto; a segunda (realizada num outro dia) oferece reforço ou correção; e na terceira avalio a compreensão e/ou o desempenho dos pequenos. Se vejo que é necessário rever o assunto, reinicio o processo. Tem funcionado.

Tingimento de papel toalha

Essa atividade foi tirada de um episódio do Mr. Maker, programa de artes infantil transmitido pela Discovery Kids.

O tingimento é simples: pingamos algumas gotas de corante num copinho de água. Um copo para cada cor! Dobramos o papel toalha branco de maneira que formasse pontas. Então, mergulhamos cada ponta de uma mesma folha num copinho, resultando num papel colorido. Dica: quanto mais tempo o papel ficar embebido na mistura, mais cor ele pega, mas também se desfaz mais facilmente. Precisa-se achar o ponto certo.

Criamos flores, gravatas...

Criamos flores, gravatas…

Esperamos secar, o que levou alguns minutos, e então partimos para as dobraduras: fizemos chapeus, gravatas, flores e outras coisas. Completamos nossas criações com desenhos, como mostram as fotos.

... pipas, chapéus e envelopes!

… pipas, chapeus e envelopes!

Nossa arte ficou exposta pendurada em barbante na parede da sala por um bom tempo.