Arquivo da tag: giz

Ortografia no chão

O estudo de ortografia deve ser constante e por isso mesmo não deve ser massante. Atualmente, meu menino está revendo a escrita de sons que podem ser representados com mais de uma letra do alfabeto (Eg.: o som do Z, que pode ser escrito com ‘z’, ‘s’ e ‘x’ ) e a menina está reforçando as sílabas (E.g.: ga/go/gu) e discernindo pronúncias próximas (Eg.: c/g, b/p, d/t, etc). Consegui dar uma animada no assunto  com um joguinho de pular na(s) letra(s) correta(s).

Acertando a escrita de "chaminé".

Acertando a escrita de “chaminé”.

No caso do x/ch, escrevi com giz no chão da nossa garagem uma fileira de ‘x’ e paralela a essa, desenhei outra de ‘ch’, de maneira que ficassem em pares x/ch. Então, ditei as regras do jogo: eu diria uma palavra com o som /sh/ e ele deveria pular na letra (ou letras) de sua forma escrita. Se ele acertasse, avançava para o par seguinte. Porém, se errasse, voltava dois pares. Para tornar a atividade mais interessante e desafiadora, impus um limite de palavras; portanto, ele precisava chegar no fim da fileira antes que minha lista chegasse ao fim. Ele adorou!

Acertando sílaba presente em 'gafanhoto'

Acertando sílaba presente em ‘gafanhoto’

Dias depois, adaptei a brincadeira para as necessidades da minha pequena, que estava terminando de revisar ga, go, gu. Escrevi as três sílabas no chão e procedi do mesmo modo como descrito acima. Repetimos o exercício novamente, dessa vez para reforçar as diferenças entre C e G. E como minha pequena de 3 anos está pedindo para brincar também, vou adaptar listando palavras que iniciem com A, E, I, O, ou U para ela pisar na vogal correta.

Esse foi mais difícil.

Esse foi mais difícil.

 

Todo tipo de linha

Algo bem simples e legal de fazer para apresentar ou rever o tópico Linhas em Geometria ou Artes é usar limpadores de cachimbos (pedaços de arame revestido) e pedir para as crianças mostrarem o que é uma linha reta ou curva, aberta ou fechada.

Minhas filhas me mostrando o que é uma linha reta...

Minhas filhas me mostrando o que é linha reta,…

...linha curva,

…linha curva,…

Minhas filhas me mostrando o que é uma linha fechada...

…linha fechada…

 

...e linha aberta.

…e linha aberta.

Depois das demonstrações, deixei elas brincarem, é claro. E elas criaram um churrasquinho no espeto para mim – limpadores enrolados num lápis!

No dia seguinte, revimos o assunto movimentando mais o corpo. Na garagem de casa, desenhei vários tipos de linhas – retas, curvas e abertas, curvas e fechadas, etc. Então pedi para que eles andassem sobre qualquer linha que atendesse à descrição dada.

Andando sobre uma linha curva aberta...

Andando sobre uma linha curva aberta…

...e sobre uma linha curva fechada.

…e sobre uma linha curva fechada.

Dias depois, para encerrar o assunto, fizemos colagem. Em uma folha de papel, desenhei quadrados, cada um com a indicação de um tipo de linha. As crianças deveriam, então, colar um pedaço de barbante de acordo com o que era pedido.

Pedaços de barbante: cada um no seu quadrado!

Pedaços de barbante: cada um no seu quadrado!

Distribui as atividades ao longo de alguns dias por 2 motivos. Primeiro, para que houvesse melhor retenção na memória, pois sei (na teoria e na prática!) que o descanso cerebral é necessário. E segundo, porque se há alguma dificuldade de compreensão ou de produção, um espaçamento entre as atividades permite que haja tempo hábil para a internalização da explicação ou correção. No geral, organizo as atividades da seguinte maneira: A primeira atividade serve de exposição e prática inicial do assunto; a segunda (realizada num outro dia) oferece reforço ou correção; e na terceira avalio a compreensão e/ou o desempenho dos pequenos. Se vejo que é necessário rever o assunto, reinicio o processo. Tem funcionado.