A cada rima, uma cambalhota

Encerro a semana “Entre Irmãos” com uma atividade que envolve trabalho em dupla, rimas e movimento, mais especificamente, cambalhotas.

Quadro com rimas e tapetes para as cambalhotas

A preparação: Escrevi palavras que rimavam num quadro brando destacando em vermelho os sons finais de cada uma. Haviam várias palavras para cada grupo de rimas (-ão, -er e -ama, por exemplo).

Dividi as crianças, no caso 6, em duplas compostas por uma mais velha que já conhece rimas com uma menor que ainda não sabe ou está aprendendo a ler. Assim os mais velhos podiam ajudar os mais novos.

Cada dupla com seu tapete

As duplas ficaram uma ao lado da outra e cada uma tinha seu tapete para a cambalhota a sua frente, como tento mostrar na foto acima.

As regras: Eu dizia uma palavra que não se encontrava no quadro e cada dupla precisava dizer outra do quadro que rimava com a que eu disse. Porém, para as crianças maiores, eu acrescentei um desafio. Elas tinham que dizer uma palavra que também não estava no quadro. Não se podia dizer as palavras que outra dupla disse nem repetir uma palavra do quadro que já havia sido dita antes. Depois de dizer sua palavra, um membro da dupla tinha que dar uma cambalhota.

Às vezes as cambalhotas saíam meio tortas

A diversão: O objetivo de cada dupla era dizer uma rima e depois dar uma cambalhota. Porém, como havia um número limitado de palavras sugeridas no quadro, eles tinham que se apressar. E nesse mesmo ritmo acelerado davam suas cambalhotas. Além do fato de que cambalhotas tortas faziam todos rirem. Como não dei pontuação para velocidade ou complexidade, não existiu uma dupla vencedora e todos saíram muito contentes e cansados.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.